Igualdade Sem Direitos


Loading

Igualdade Sem Direitos

8 de Março de 1857 – Fábrica de Tecidos – Nova Yorque

Era para ser um dia como qualquer outro, mas se transformaria num momento histórico e revoltante, mulheres perderiam seus sonhos, esperanças, amores, vidas.
Elas só queriam uma coisa: IGUALDADE DE DIREITOS.

– Não podemos mais acreditar na sorte e em histórias de fantasia, num cavalo branco com um cavalheiro e sua espada entrando pelos corredores desta fábrica para nos salvar. Não existe tantos príncipes no mundo. Precisamos usar a palavra, precisamos lutar pelos nossos sonhos e direitos. Vejam, estamos trabalhando 16 horas todos os dias, desenvolvendo muitas vezes as mesmas funções do sexo masculino e recebendo, quando chega, a um terço dos salários dos homens. E aqueles homens que nos tratam como lixo, desrespeito com suas mãos e suas línguas sujas e venenosas. Sem dizer que nosso trabalho não acaba aqui, chegamos em casa e ainda precisamos cuidar de nossos lares, de nossos filhos. Os filhos… não temos tempo para os nossos filhos, não tomamos café da manhã com eles, não acompanhamos de perto seu crescimento, sua formação, o seu desenvolvimento. Às vezes no final da noite só conseguimos ouvir sua respiração num sono profundo, intenso e solitário. Quantas de nós, precisam contribuir com as despesas de nossas casas? Quantas de nós somos mães e pais dessas crianças? Fomos abandonadas pelos nossos maridos que simplesmente não queriam o mesmo que nós: SER FELIZES!. E agora tudo está tão denso, tão profundo e extremamente negro.

Se fecharmos nossos olhos por um momento podemos imaginar uma pequenina, com olhos fundos, porém expressivos, cabelinhos ondulados e curtos, com seu grande vestidão surrado cobrindo seus joelhos, aquele avental encardido do trabalho braçal e esse discurso tão certeiro saindo de uma boca sedenta por justiça a favor de direitos tão relevantes ao ser humano.
Após a união dessas mulheres para reivindicar apenas menos 6 horas de trabalho, equiparação de salários e tratamento digno no ambiente de trabalho, foram massacradas cruelmente por seres desumanos de uma época sem leis, sem escrúpulos. Cento e trinta tecelãs foram trancafiadas nesta fábrica e morreram carbonizadas.

Se olharmos as mulheres de hoje e esse momento trágico da história, poderemos sentir o quanto a ignorância e a maldade cegam às pessoas a ponto de poder culminar a própria raça humana. E isso, quando acontecerá, hoje, amanhã?

Imagem da internet3